12/02/2020
O que é uma planta forrageira?
São as plantas usadas como fonte de alimento para os animais, podendo ser forrageiras gramíneas ou forrageiras leguminosas.
Ela pode ser plantada e servir para os animais pastarem ou pode ser produzida e depois colhida para ser servida como alimento, um exemplo é o feno.
As plantas forrageiras são uma das principais fontes de rendimento da pecuária baseada em pastagens, ela agem de acordo com o solo, plantas e animais. Isso significa que o sistema em que ela é colocado influência em seu crescimento e nutrientes.
Quando um produtor escolhe uma planta forrageira ele deve considerar a produtividade e a qualidade nutritiva que deseja para o seu objetivo, por exemplo, como a engorda do gado.
As plantas forrageiras podem ser divididas em gramíneas e leguminosas, ao qual iremos falar melhor sobre cada uma abaixo.
 

Gramíneas forrageiras

As forrageiras gramíneas são as plantas que possuem flores, por exemplo, as gramas, capins ou relvas.
As gramíneas têm uma boa resistência ao fogo, se adaptam fácil em ambientes diversos e são sementes de fácil dispersão. Elas possuem uma família bastante extensa de ervas anuais, como a cana de açúcar.
Elas surgem naturalmente nas pastagens e são consideradas plantas perenes, isso significa que elas são capazes de rebrotar após o corte ou o pastejo. Uma das suas características é o seu rápido desenvolvimento, o que é ótimo para o preparo rápido da pastagem.
 

Leguminosas forrageiras

São plantas que produzem sementes dentro de suas estruturas, comumente chamadas de vagens. No Brasil são as mais utilizadas na alimentação dos rebanhos bovinos leiteiros, além de ter um custo baixo ao ser comparado com outras fontes de alimento.
Algumas forrageiras leguminosas possuem crescimento do tipo rasteiro, como o trevo branco e o amendoim forrageiro.
As leguminosas possuem alto valor proteico, isso proporciona uma melhora na dieta animal e através da fixação biológica aumenta a disponibilidade de nitrogênio, o que provoca uma melhor fertilidade do solo.
 
  • Consorciação entre gramíneas e leguminosas

Essa prática consiste em manejar as duas espécies diferentes de forrageiras, gramíneas e leguminosas, em uma única área. Esse tipo de manejo traz benefícios para os animais, para as plantas e também para o solo.
A consorciação de culturas é uma técnica agrícola que visa a melhora do solo a longo prazo. Essa melhora é feita através da plantação de espécies diferentes próxima uma das outras.
As plantas vão compartilhar os mesmos recursos ambientais para crescerem durante o seu ciclo de vida. Isso proporciona uma forte interatividade entre as espécies e o ambiente.
Essa técnica é uma forma de maximizar o aproveitamento da água, ajuda no controle de plantas daninhas, promove cobertura viva e morta do solo e contribui melhor com a qualidade da dieta animal.
 

Como fazer uma boa pastagem?

Fazer uma boa pastagem é significado de ter um bom gado, seja para corte ou para a produção de leite. Assim, é importante que o pecuarista saiba a melhor forma de preparar o solo para que o gado possa ter um bom alimento com as plantas forrageiras.
O primeiro passo é escolher a espécie forrageira que melhor irá se adequar para o seu gado. Também é importante ver qual espécie é melhor para o clima e o tipo de solo.
 

Escolha a forrageira que seu gado gosta

Cada espécie de gado prefere um tipo diferente de capim para pastar, e é importante entender bem qual forrageira o seu gado prefere.
  • Capim para bovinos: as forrageiras da espécie Massai costumam ter melhor aceitação com os animais e também se adapta bem às variações climáticas do país.
  • Capim para equinos: as forrageiras da espécie Tanzânia tem uma ótima aceitação com cavalos, além de ter bom valor nutritivo e proteína mediana.
  • Capim para gado leiteiro: a espécie Mombaça possui alta exigência nutricional, sendo rico em proteínas, vitaminas e minerais.
Existem vários tipos de sementes e tem a ideal para o seu rebanho, se quiser saber qual é a semente perfeita para o seu gado: entre em contato com a Sementes Santa Fé que ela irá descobrir a solução ideal para você.
 

Prepare bem o solo

Após escolher o tipo de forrageira ideal para o objetivo que o pecuarista deseja ter com o seu gado, ele deve preparar bem o solo.
A Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) recomenda que o solo deva ser protegido contra erosão e que a vegetação indesejada deve ser retirada.
Após isso, é importante realizar uma análise do solo detectar a necessidade do uso de corretivos, além de fazer também o controle de insetos e pragas. Distribuir calcário e fósforo sobre o solo.
Com isso deve-se realizar a mistura no solo e depois distribuir potássio e nitrogênio. Também deve fazer uma gradagem niveladora e tomar cuidado com a umidade do solo, para que ela seja proporcionar.
 

Como escolher o melhor tipo de pastagem

A pastagem é o período em que o gado fica se alimentando em um local selecionado pelo pecuarista, e ela pode ser de pastejo contínuo ou de pastejo rotativo.
  • Pastejo contínuo: o gado fica pastando durante toda a estação, acarreta uma distribuição irregular do pastejo, fezes e urina.
  • Pastejo rotativo: a área é dividida em dois ou mais piquetes, o que proporciona um descanso as plantas forrageiras. Proporciona uma distribuição mais regular do pastejo, fezes e urina.

Dividir as pastagens proporciona um descanso maior para o solo, e as sementes forrageiras conseguem se desenvolver melhor. No artigo sobre Fisiologia e manejo de plantas forrageiras da Embrapa, ele explica sobre cada tipo de pastejo e como realizar a divisão das pastagens.
Após escolher qual é o melhor tipo de pastagem para o seu terreno, é importante escolher boas sementes.
 

Escolher sementes de qualidade é sinônimo de sucesso

Escolher uma semente de qualidade significa ter uma planta forrageira para pastagem com bons nutrientes e um gado sadio. A Sementes Santa Fé é uma empresa que preza sempre pela escolha de boas sementes.
É feito uma alta seleção em suas sementes, priorizando a qualidade e a pureza dos grãos. Eles são especialistas na produção de sementes forrageiras e sempre investem em tecnologia para extrair o máximo potencial da semente.
O foco da empresa é desenvolver plantas forrageiras que se adaptem às mais diferentes condições de cultivo. Com isso, as sementes incrustadas tem maior absorção de água com tratamento de inseticidas, fungicida e hormônio enraizador.
As sementes da Sementes Santa Fé possuem alto aproveitamento, o que agiliza os processos e maximiza os lucros.
Acesse o site da Sementes Santa Fé e veja todos os seus produtos e entre em contato para saber mais sobre como adquirir sementes de qualidade.