30/09/2020
Semente Ruziziensis: O que é e como utilizar no plantio direto?
As Sementes Ruziziensis dão origem a uma brachiaria muito utilizada em sistemas de plantio direto, especialmente para criação de bovinos para recria e engorda. Devido a algumas de suas características, a ruziziensis apresenta baixa resistência às cigarrinhas e tem pouca capacidade no processo de rebrotar.

Entretanto, contar com esse tipo de semente de alta qualidade e boa procedência pode ser fundamental na busca por minimizar esses impactos negativos, sobretudo quando aplicada em superpastejos, já que pode vegetar facilmente em vários tipos de solo por conta de sua adaptação e resistência.

Quer aprender mais sobre todos os principais aspectos dessa semente? Então, continue sua leitura!

Afinal, o que é o Capim Ruziziensis?

A brachiarias Ruziziensis é uma forrageira originária da África com características específicas que exigem uma maior fertilização do solo. De modo geral, essa forrageira é bem aceita pelos animais em recria e engorda e proporciona um pastejo de alta qualidade.

Por conta disso, além do pastejo direto, essa espécie pode ser utilizada para fenação. Em contrapartida, os pastejos diretos exigem cuidados importantes, principalmente para minimizar sua degradação.

A quantidade adequada de sementes que devem ser plantadas pode variar dependendo das condições do terreno, sistema de plantio, tipo de solo, sistemas de irrigação, disponibilidade hídrica, entre outros fatores. Em linhas gerais, a taxa de semeadura das sementes ruziziensis é bem próxima a 2 kg/ha.

Quais são suas principais características?

A brachiarias Ruziziensis é uma espécie que produz forragem de boa qualidade e palatabilidade de animais de grande porte. Ela se trata de uma gramínea rasteira que contém rizomas curtos e colmos de 3 a 4mm de diâmetro.

Esse tipo de gramínea perene apresenta folhas largas e macias, com aspecto mais aveludado em função da presença de pêlos em sua estrutura. A planta ainda tem duplas filas de sementes e particularidades importantes que a distinguem das demais espécies de braquiária.

Em via de regra, esse tipo de forrageira adapta-se melhor em solos de média e alta fertilidade além de exigir maior eficiência dos sistemas de drenagem. Mais indicada para regiões tropicais, as brachiarias ruziziensis tem baixa resistência a ambientes extremamente frios.

Embora agrade bastante o paladar dos animais, é preciso ser cauteloso com o pastejo, especialmente quando se tratar de sobrepastejos, por conta da dificuldade no processo de rebrota.

Por outro lado, além de apresentar alta susceptibilidade às cigarrinhas, a ruziziensis tem um excelente valor nutricional, pois oferece entre 8 e 11% de proteína na matéria seca.

Como utilizar a Semente Ruziziensis no plantio direto?

Em sistemas que utilizam o plantio direto, é preciso observar alguns detalhes importantes, especialmente em relação ao manejo correto da brachiaria ruziziensis. Caso seja utilizada com operações em comum com o milho ou sobressemeadura com a soja, por exemplo, o ideal é iniciar o plantio durante a fase de enchimento dos grãos e o começo da maturação da soja.

Por outro lado, em consórcio com o milho, o produtor pode iniciar o plantio da forrageira junto com a semeação do milho ou no decorrer da adubação para seara de milho. Ao contrário do que muitos imaginam, observar o tempo adequado para semeadura das sementes é fundamental, já que essas culturas podem comprometer ou potencializar tanto a forragem quanto o cultivo do milho.

Outro ponto que merece atenção é a taxa de semeadura utilizada no plantio direto da semente ruziziensis. Em via de regra, o indicado é variar entre 2kg/ha a 10 kg/ha. Caso se trate de forrageira para criação de pasto, ou seja, cobertura do solo, a taxa de plantação das sementes desse tipo de brachiaria deve estar próxima de 2kg/ha.

Conclusão

Escolher a semente da brachiaria ruziziensis é uma excelente alternativa para o pastoreio e conservação das forragens. Outro aspecto importante sobre a semente é que, por meio do processo de fenação, é possível condensar ainda mais os valores nutritivos da planta. Por conta de seu alto teor em proteína, observa-se um ganho considerável em vísceras dos animais.

Além disso, quando utilizada em consórcio com outras culturas, esse tipo de forrageira apresenta-se como uma opção muito utilizada pelos produtores rurais. Vale ainda destacar sua qualidade, sobretudo em sistemas de plantio direto, pois contribui para a melhora na fertilidade do solo e suas demais propriedades e características físicas.

O que achou deste artigo? Se gostou das informações que trouxemos e deseja obter mais detalhes sobre o produto, entre em contato conosco agora mesmo.